Biblioteca Solidária

IMG-20200603-WA0055Já ouviu falar na Biblioteca Solidária? Ela pode acontecer em qualquer cantinho desse mundão. E, felizmente,  ela já existe em vários países. Basta acreditar, ter boa vontade e doações de livros.

Profissionais asseguram que a leitura é transformadora. Alguém duvida? Melhora o funcionamento do cérebro, aumentando as conexões neurais, estimula o senso crítico, a criatividade, além de aprimorar o conhecimento. Este hábito da leitura pode e deve ser democrático, gratuito e diverso. Pensando nisso e em exemplos vistos pelo mundo, o Projeto Sorriso abraçou minha ideia e, em 2019, criamos uma Biblioteca Solidária e itinerante, em Contagem (MG).  A priori, a biblioteca (com mais de cem livros doados) ficaria pelas ruas do estado sem ninguém ficar vigiando. E não é que deu certo? Deu muito certo! A medida que o tempo passava, era um troca-troca de livros. De empresários a mendigos, de crianças a adultos; todos liam os livros. Por ser itinerante, ela foi para Igarapé e, por lá, ficou mais alguns meses.

Como a época das chuvas se aproximava, era o momento de proteger nossos livros também. A biblioteca seguiu para o Hospital Municipal de Contagem, no Pronto Atendimento Infantil. Partindo do pressuposto de que livros curam a alma e a mente, acredito que um ambiente como um hospital requer algo que as pessoas precisem se sentir melhor. Por meio da leitura em ambientes hospitalares é possível motivar não somente pacientes, mas todos os sujeitos que circulam neste local. Afinal, “o livro só ganha vida quando está nas mãos de seu leitor, seja ele quem for”.

A ideia foi crescendo, crescendo e chegou o momento de levar a biblioteca para presídios também. Por que? Os números que se referem à reincidência dos presos são muito altos, atingindo cerca de 70%, segundo o Supremo Tribunal Federal/2011. Ou seja, o sistema está falhando, esses presos e até nós (“considerados gente do bem”) corremos risco. Comecei a me questionar. O que temos feito para mudar essa realidade e para que eles possam se ressocializar? Pesquisei, então, o que os presídios considerados referência no mundo têm feito. Como é sabido, nenhuma novidade: lugar decente respeitando o nº x de celas, política social, trabalharem para ganhar seu próprio sustento, acesso à escola, cursos, contato com os animais (isso mesmo), prática de esporte, mais comunicação com as famílias, acesso aos livros e poesias (esse último por minha conta. rsrsrs). Esses presidiários precisam ocupar a mente com algo que os façam sentir melhores.  Assim, diminuirão, consideravelmente, as revoltas e rebeliões. Vamos conseguir mudar todos? Infelizmente, não. Mas quem sabe alguns, a gente não consegue plantar a sementinha do perdão, do arrependimento e do amor? Livros e poesias neles!!! Se bem não fizerem, mal também não “os” ou “nos” atingirão.

img_20200131_074423511

Atualmente, a Biblioteca Solidária está presente em três presídios, um hospital, creche e Associação Comunitária. Ainda temos muitos livros e queremos levá-los para casas de recuperação e muitos outros lugares. Devido à pandemia no novo coronavírus, tivemos que dar um tempo, devido à segurança de quem doa e de quem recebe. Mas em breve, se Deus quiser, ela estará mais forte e, quem sabe, mais próxima de você?